Plantão 24h - (12) 3322.4801 - 9.6666.0882
Endereço Av. Alfredo Ignácio N. Penido, 255, Edifício Le Classic, Salas 1503/1504 - Jd. Aquárius
simei@scadvocacia.com
Facebook
instagram
Canal youtube

Mediação Familiar

Uma nova visão para o Divórcio, pedido de Alimentos ou Partilha de Bens. Você conhece a Mediação Familiar?

Em muitos momentos de nossas vidas, as emoções falam tão alto que não conseguimos ter discernimento para declarar o que realmente nos importa e o nosso real desejo. Diante disso, quando duas ou mais pessoas estão vivendo este mesmo momento nebuloso, as conversas passam a ser muito improdutivas, pois o real interesse de cada um se perde.

É neste contexto que diante de uma questão familiar, na qual não conseguimos um resultado consensual, socorremo-nos do Judiciário na tentativa de encerrar a questão.

Todos sabemos que o Judiciário acumula uma infinidade de processos envolvendo questões de família e que muitos deles duram anos, trazendo inúmeros prejuízos aos envolvidos.

A lentidão é um dos principais problemas que o Judiciário enfrenta, mas o número alarmante de ações vem muitas vezes da dificuldade que existe em lidarmos com as nossas relações pessoais, principalmente no âmbito familiar ou advindo dele.

O Direito de Família tradicional sempre focou as questões patrimoniais, porém isso vem mudando e evoluindo juntamente com a sociedade, que atualmente tem um olhar mais atento ao ser humano e suas emoções.

A sentença coloca fim ao processo judicial e não às questões emocionais que são o “pano de fundo” da lide. Estas mesmas questões podem gerar novos conflitos e novas ações judiciais, pois as partes se confundem, utilizando esta esfera como única ferramenta para solução de seus conflitos afetivos.

A Mediação Familiar é uma alternativa excelente para quem deseja uma solução pacífica e resolutiva e é um trabalho que pode se desenvolver extrajudicialmente ou mesmo durante o curso do processo judicial.

Atualmente, algumas comarcas do país possuem a possibilidade de sessões de mediação judicial. Mas também, é possível a contratação de um mediador habilitado para composições extrajudiciais ou que podem complementar a via judicial.

A Mediação Familiar não visa um acordo e sim a retomada de comunicação entre as partes de maneira saudável e produtiva, para que elas mesmas tenham mais clareza de suas verdadeiras reivindicações e limites.

Somente através deste diálogo produtivo é possível que as partes tenham autoria de suas próprias decisões e concluam se o acordo é ou não uma possibilidade plausível de relevar alguns interesses em prol da solução amigável de suas relações.

O mediador auxilia a retomada desta conversa de uma maneira saudável e focada, uma vez que se trata de uma pessoa neutra, imparcial e com a qual as partes se sentem confortáveis.

Diante de tudo isso, é importante analisar se a busca é realmente finalizar o conflito, porque até mesmo o conflito pode ser uma maneira de continuar uma história.

Vale lembrar que é sempre possível aprender com uma história que acaba e compreender que todo final é um recomeço.

Ana Paula Santana Sattelmayer

OAB/SP 268.579

Advogada

Mediadora e Conciliadora

Mais notícias
Mediação Familiar
Partilha do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço
Rescisão Contratual de Imóvel comprado na planta.
Prazo de vigência dos Contratos de Locação de Imóveis
Contrato de Locação de Imóvel com prazo indeterminado